Blog

As marcas mais valiosas de cerveja do mundo  

Depois de anos difíceis, em que as marcas de cerveja do mundo tentam se adequar às mudanças significativas no estilo de vida trazidas pela pandemia, as principais marcas de cerveja registraram perda de 16% de seu valor cumulativo de marca quando comparado ao início dessa crise, de acordo com a Brand Finance.

Agora, mais do que nunca, as gigantes da indústria da cerveja estão disputando metro por metro os espaços publicitários, as prateleiras dos supermercados e, claro, as vendas ao consumidor.

Mesmo na crise, contudo, há sempre quem ganhe a corrida pelo ouro. 

Curioso para saber qual, no mundo, é a marca de cerveja mais valiosa atualmente?

O último relatório sobre cerveja, vinho e marcas de destilados da Brand Finance, empresa inglesa de consultoria de avaliação de negócios e estratégia, listou as marcas de cervejas com o maior valor comercial no mundo no último ano e a gente divide ela agora com você.

Saiba quais são as 5 primeiras colocadas desse ranking e o que você pode esperar dessas cervejas no paladar.

1. Corona

Ironia do destino ou não, é a cerveja que carrega o nome do vírus que espalhou caos no planeta a marca de cerveja mais valiosa do mundo atualmente. 

Nascida no México, esta cerveja do tipo Pilsen foi produzida pela primeira vez em 1925 pela Cervecería Modelo, localizada na Cidade do México. 

Hoje ela faz parte da família da Anheuser-Bush InBev e é vendida em mais de 150 países. .

A Corona está avaliada atualmente em US$5,8 bilhões.

Ingredientes:

A Corona Extra, a principal marca da Corona, é produzida a partir de água, malte, arroz e lúpulo.

Características Sensoriais:

A cerveja icônica pela sua forma de degustação – com uma fatia de limão no gargalo para reforçar a acidez das suas doses cítricas – possui sabor leve, refrescante e com baixo amargor de lúpulo. Apresenta teor alcoólico de 4,6%.

2. Heineken 

É holandesa a segunda marca mais valiosa de cerveja do mundo.

Avaliada em US$5.6 bilhões, a história da Heineken se iniciou em 1864, quando Gerard Adriaan Heineken adquiriu uma pequena cervejaria em Amsterdã, no coração da Holanda. 

Cinco anos depois, em 1869, Gerard decidiu mudar o processo de produção da cerveja, adotando o método alemão de baixa fermentação. 

Segundo dados da cervejaria, estima-se que 25 milhões de Heinekens são servidas todos os dias em 192 países. 

A receita da cerveja, dizem, permanece a mesma há mais de um século. 

No Brasil, o portfólio de cervejas do Grupo Heineken é formado ainda por Sol, Kaiser, Bavaria, Amstel, Kirin Ichiban, Schin, No Grau, Devassa, Baden Baden, Eisenbahn e Glacial.

As cervejas são fabricadas em doze cervejarias e 2 microcervejarias espalhadas por todo o Brasil.

Ingredientes:

A cerveja lager Heineken contém apenas três ingredientes principais – cevada, lúpulo e água – além da famosa levedura A. 

Segundo conta a história, foi um aluno de Louis Pasteur, Dr. Elion, que em 1886 conseguiu isolar a cepa da levedura A em um laboratório da Heineken. (O Guia Oxford da Cerveja).

Características Sensoriais:

A cerveja pertence ao estilo American Premium Lager e é  caracterizada por seu amargor mais intenso que as das outras cervejas populares.

3. Budweiser 

É na terceira colocação que desponta a primeira entre as marcas de cerveja com maior valor comercial dos Estados Unidos.

A Bud, como é conhecida, foi fundada em 1876, por um imigrante alemão, Adolphus Busch. 

Hoje Budweiser faz parte do grupo Anheuser-Bush InBev, é vendida em mais de 85 países, com a mesma receita que possui mais de 140 anos de história.

No Brasil, a produção da Budweiser é feita na fábrica de Jacareí, interior de São Paulo.

O valor da marca é estimado em US$4,7 bilhões.

Ingredientes:

A Budweiser é feita com água, malte, arroz e lúpulo. Assim como Heineken, também possui levedura própria.

Características Sensoriais:

A cerveja Budweiser é uma American Lager de sabor leve, limpo, ligeiramente adocicado, um certo toque frutado de maçã, cor clara e aroma discreto. 

As lascas de faia (beechwood), madeira especial utilizada no processo de fermentação e maturação da Budweiser, conferem um sabor equilibrado, marcante no início e suave no final.

> Saiba todos os detalhes do Curso de Sommeliers de Cervejas Doemens / ESCM.

4. Victoria 

Assim como a Corona, a quarta marca de cerveja mais valiosa do mundo é mexicana.

A Victoria é uma cerveja Lager Vienna produzida pela primeira vez em Toluca, México, em 1865 pela Compañía Toluca y México. 

O Grupo Modelo comprou a Compañía Toluca y México em 1935, mas apenas continuou a produzir suas marcas mais populares: Pilsner e Victoria. A Pilsner interrompeu a produção em 1943, mas Victoria permaneceu no mercado até hoje. É por isso que Victoria é considerada a cerveja mexicana mais antiga.

Depois, em 2012, foi a vez da Anheuser-Busch InBev, dona da AmBev, comprar o Grupo Modelo.

De acordo com a marca, após a Primeira Guerra Mundial o estilo vienna praticamente desapareceu na Europa, mas encontrou sua nova casa no México. A cerveza Victoria manteve viva a receita de maltes caramelizados e conquistou o fiel público mexicano que a chama carinhosamente pelo apelido Viky.

A marca Victoria vale US$4,0 bilhões, segundo o relatório da Brand Finance.

Ingredientes:

Feita com água, malte de cevada, cereais não maltados e lúpulo. 

Características Sensoriais:

Victoria é uma cerveja de cor âmbar, do tipo Lager Vienna, com 4º de álcool. Possui corpo macio, de leve a médio, oferecendo notas de malte torrado, maçã e carambola.

>> Leia também: 5 estudos científicos que dão sinal verde para você beber cerveja

5. Bud Light 

A quinta colocada no ranking das marcas de cervejas mais valiosas no mundo é a americana Bud Light, avaliada em US$3,9 bilhões.

Com baixo teor alcoólico e apenas 110 calorias, a cerveja Bud Light é a versão mais leve da Budweiser.

Sua criação se deu no início dos anos 80 quando a tradicional cervejaria Anheuser-Busch estudava aumentar a linha de produtos da marca Budweiser. 

Em abril de 1982 a cervejaria lançou nacionalmente no mercado americano a cerveja Budweiser Light, versão mais fraca da já tradicional Budweiser. 

Poucos anos depois, a cerveja assumiu o nome abreviado Bud Light e em 2001, com o aumento de consumo das cervejas light, a marca se tornou a cerveja mais consumida dos EUA, superando até mesmo sua irmã, a Budweiser original.

 Hoje, a Cerveja Bud Light é a mais vendida light beer do mundo.

Ingredientes:

A Bud Light é feita com água, malte, arroz e lúpulo.

Características Sensoriais:

Bud Light é uma refrescante cerveja Light Lager de estilo americano com um sabor limpo e nítido e um final rápido. Com 4,2% ABV, é leve e fácil de beber. 

Assim como a irmã mais velha, a Bud Light também ganha lascas de Beechwood durante os processos de fermentação e maturação.

Na sequência da classificação aparecem a marca chinesa Snow, com US$3,4 bilhões; Modelo, do México, com US$3,3 bilhões; a japonesa Kirin, com US$2,853 bilhões; Miller Lite dos EUA, com US$2,850 bilhões; Asahi, também do Japão, com US$2,848 bilhões.

As marcas brasileiras Skol e Brahma ficaram na 11ª e na 16ª posição, respectivamente.

>> Faça parte do universo cervejeiro. Conheça os cursos da Escola Superior de Cerveja e Malte.

Querendo uma ajuda para traçar a sua carreira cervejeira?

Nossa equipe está aqui para lhe ajudar. Preencha o formulário abaixo e um consultor entrará em contato com você.

Você tem mais de 18?

Nós temos que ter certeza que você tem a idade mínima para entrar no conteúdo deste site.