Blog

Produção de cerveja em casa sim e com muita qualidade também!

Atualmente, com o BOOMM da produção de cerveja caseira, não é difícil encontrar pessoas que acham que, para se fazer cerveja, é necessário apenas cozinhar o malte, ferver e fermentar.

De certo modo sim, mas, neste caso, não há a garantia do resultado ser uma boa cerveja. Sem entender o que acontece durante estes processos, é muito mais difícil produzir uma boa cerveja e reproduzir a mesma cerveja torna-se um exercício de sorte. Quando “aparece” algum aroma ou sabor diferente não se sabe o porquê.

Existe muito mais ciência relacionada à produção de cervejas do que quantidade de malte e tipo de lúpulo. Vários processos químicos e biológicos acontecem durante a produção e, conhecendo ao menos os principais, podemos produzir cervejas de boa qualidade em casa.

Que processos são estes? Como exemplo de alguns destes processos podemos citar:

1) Sacarificação do amido:
É um dos processos mais importantes na produção da cerveja. O amido contido no malte é um açúcar complexo, de estrutura grande, e a levedura não é capaz de consumi-lo durante o processo de fermentação. Por este motivo, é necessário que ele seja quebrado em unidades menores antes do processo de fermentação. Este trabalho é realizado pelas enzimas durante a mostura, elas quebram o amido em açúcares menores (processo chamado de sacarificação do amido).
Ao final da mostura deve-se obter uma conversão total do amido em açúcares menores. Como saberemos quando isso ocorreu? O teste prático ao fim da mostura é o teste de iodo. Este teste pode ser feito adicionando-se, em um recipiente, algumas gotas do mosto e gotas de iodo. O iodo reage com o amido formando um complexo de coloração azul escuro. Logo, se ao final da mostura e realização do teste o resultado for um complexo de coloração azul escuro, teremos a certeza que não houve uma total conversão do amido. Quanto maior a quantidade de açúcares de cadeia pequena, maior a quantidade de alimento para a levedura e maior será a produção de álcool.
Complicado? Nem tanto. Vamos a outro processo:

2) Reação de isomerização do lúpulo:
O lúpulo possui em sua constituição os chamados alfa-ácidos que durante o processo de fervura serão transformados em alfa-iso-ácidos. Por serem mais solúveis que os alfa-ácidos, os alfa-iso-ácidos conferem amargor em maior intensidade a cerveja.

Estes são alguns dos processos que acontecem durante a produção da cerveja e todos são influenciados por fatores como pH, temperatura etc… Sendo assim, podemos perceber quantas variáveis existem no processo e por isso é tão grande a dificuldade em conseguir reproduzir cervejas.
Isso que nem falamos de fermentação… Porém, conhecendo as variáveis destes processos e entendendo o seu funcionamento, podemos, mesmo na produção caseira, controlar e corrigir estas questões.

Então, vamos fazer cerveja em casa sim! Mas vamos entender o processo e produzir cervejas cada vez melhores. Pensando nisso, a Escola Superior de Cerveja e Malte oferece o curso de Cervejeiro Artesanal, voltado exclusivamente para a produção de cerveja caseira, que tem como objetivo propiciar ao cervejeiro conhecimento para que ele possa produzir cervejas dentro dos padrões técnicos e de qualidade.

Cervejeiro Artesanal – Homebrewer
Contatos: [email protected] e 047-3380-5200

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + 20 =

Baixe o E-book Grátis ↓

Gestão Comercial das Cervejarias Artesanais Brasileiras

Um estudo sobre a forma de atuação

comercial das cervejarias artesanais 

realizado pela ESCM

com a participação

de 262 Cervejarias de todo o Brasil

Eu concordo em receber comunicações por e-mail.