Blog

Cerveja Puro Malte & Cerveja Duplo Malte: qualidade superior ou mera propaganda?

cerveja puro malte

Descubra o que a indústria coloca na cerveja que você está bebendo!

Ei, você: quer pureza ou duas vezes mais malte na sua cerveja?

Soa uma boa oferta, não soa?

Afinal, quem não quer um produto definido pela pureza ou pelo dobro de benefícios ao invés de um produto simples, sem essas características? 

As palavras puro e duplo grafadas no rótulo despertam curiosidade, interesse e desejo. 

Assim que, mesmo sem saber exatamente o que quer dizer malte e o que ele aporta à cerveja, o consumidor instantaneamente relaciona uma cerveja puro ou duplo malte a uma cerveja de qualidade superior.

Mas será que isso é verdade ou é apenas uma jogada de marketing?

Será que estamos bebendo cerveja puro malte ou cerveja duplo malte pelo sabor, ou pela promessa? 

Nesse artigo você irá descobrir isso e muito mais.

Continue a leitura para entender o que é malte, saber o que é, por definição legal, uma cerveja puro malte e descobrir se a cerveja puro ou duplo malte tem mesmo qualidade superior.

Pronto para a verdade?

Então partiu!

O que é malte? Qual a sua função na cerveja?

A nossa jornada pelo mundo das cervejas puro e duplo malte tem um ponto de partida: descobrir o que é malte!

E nós vamos direto ao ponto. 

Na cerveja, o malte aporta cor, sabor, aroma, corpo e, o mais importante: açúcar! 

Sem o malte não há combustível para as leveduras converterem açúcar em álcool, o que acontece em uma das etapas centrais da produção de cerveja, chamada fermentação.

Mas isso é assunto para outro post…

Agora, o que você precisa saber é que o malte é o responsável por dar o pontapé inicial no preparo da cerveja. Tudo começa quando o cervejeiro prepara um grande “mingau”, misturando malte e água quente.

Ok, mas o que é malte?

Na maioria dos casos (e você já vai entender porque não é sempre!), malte é a cevada que passou por um processo bem específico, a malteação, com o intuito do grão liberar enzimas, expor os carboidratos e adicionar cor à cerveja. 

Se você se perdeu na parte da cevada, aí vai um parêntese: cevada é um cereal que se parece visualmente muito com o trigo. Além de ser ingrediente chave na produção das cervejas, ele é utilizado na alimentação de animais e tem ganhado cada vez mais espaço nas dietas das pessoas que buscam por alimentação saudável ou que possuem alguma restrição alimentar.

Malte

Mas por que se usa cevada para fazer cerveja e não o trigo? 

Essa resposta merece um texto só pra ela, mas, basicamente, a cevada possui características físicas e químicas mais apropriadas para fazer cerveja do que o grão que usamos para fazer pão. Apesar disso, sim, o trigo também é usado para fazer cerveja – a deliciosa Witbier – assim como outros grãos e por isso não podemos dizer que o malte é sempre feito de cevada.

Entretanto, é inegável que dentre todos os cereais consumidos pelo homem a cevada é a que possui a melhor composição para fazer cerveja. Ela contém a quantidade ideal de proteínas, enzimas e amido, além de uma casca removível que auxilia a filtragem do mosto: por tudo isso a cevada é um insumo indispensável para a indústria cervejeira.

Bem, se você chegou até aqui, viu que o malte não é o cereal em si, mas o produto fruto do processo que transforma a cevada (ou outro cereal) em algo pronto para iniciar o processo de produção de cerveja. 

Basicamente, o processo que dá origem ao malte começa com a separação dos grãos saudáveis de cevada. Depois, esses grãos são colocados em grandes armazéns com temperatura e umidade controladas para que germinem. 

Antes que os embriões comecem a crescer, os grãos são levados para secar ou com o intuito de parar a germinação. Nesse processo, chamado malteação, as enzimas e também os açúcares existentes na cevada são preservados, formando, assim, o malte, a estrela do nosso artigo de hoje.

o que é malte
Estudo do Malte na ESCM: variedade, tosta, acondicionamento e análise qualitativa

E aí, já conseguiu captar alguma pista do que seria uma cerveja puro malte? Ainda não?

A gente fala disso agora mesmo!

O que é uma cerveja puro malte? Ela é melhor que as outras?

Retomando o que dissemos lá em cima, na maioria dos casos, o malte é feito de cevada. 

Mas isso não acontece sempre. 

Apesar de menos indicados para a fabricação da cerveja, o malte também pode ser derivado de outros cereais, como a aveia, o arroz, o milho e o trigo. 

A grande questão é que, se esses cereais substituírem integralmente o malte de cevada, a bebida resultante da fermentação desses maltes não poderá ser chamada de cerveja!

Para que a bebida alcoólica resultante da fermentação dos açúcares originários de cereais seja chamada exclusivamente “cerveja”, ela precisa ter um percentual mínimo de malte de cevada em sua composição

No Brasil, esse percentual vem definido pela Instrução Normativa 65/2019 e, segundo ela, só podemos chamar de cerveja quando elaborada a partir de um mosto que contém no mínimo 55% de cevada malteada.

Mas, atenção: isso não quer dizer que uma bebida que contenha percentuais menores de cevada malteada não possa ser considerada cerveja. Nesse caso, porém, a denominação muda, não podendo ser chamada simplesmente “cerveja”.

Isso quer dizer que, atualmente, no Brasil, a cerveja não precisa ser feita exclusivamente de malte de cevada, mas se não contiver o percentual mínimo de malte de cevada previsto na lei, deverá deixar isso bem claro no rótulo da bebida.

E a cerveja puro malte, onde ela entra nessa história?

Como você já deve estar suspeitando, a cerveja puro malte tem a ver com a proporção de malte de cevada presente na bebida.

Assim, de acordo com a normativa acima mencionada, as cervejas, no Brasil, são classificadas em:

  • cerveja: quando elaborada a partir de um mosto cujo extrato primitivo contém no mínimo 55% em peso de cevada malteada e no máximo 45% de adjuntos cervejeiros;

  • cerveja 100% malte ou CERVEJA PURO MALTE: quando elaborada a partir de um mosto cujo extrato primitivo provém exclusivamente de cevada malteada ou de extrato de malte;

  • cerveja 100% malte de (nome do cereal malteado) ou cerveja puro malte de (nome do cereal malteado), quando elaborada a partir de um mosto cujo extrato primitivo provém exclusivamente de cereais malteados.

Assim, se uma cerveja foi feita a partir de trigo malteado, por exemplo, ela é classificada como “cerveja puro malte de trigo”.  

Já uma “cerveja puro malte”, sem a indicação do cereal, se trata de uma cerveja feita pura e tão-somente com malte ou extrato de cevada.

Para quem está intrigado com esse “extrato de malte de cevada”, pode ficar tranquilo, ele é apenas a cevada malteada em outro estado físico. Precisamente, ainda segundo a IN 65, ele é o produto seco ou de consistência xaroposa ou pastosa, obtido exclusivamente do malte”. Ou seja, ao invés do cervejeiro utilizar os grãos malteados, a legislação permite o uso do extrato. 

Resumindo a ópera, uma cerveja puro malte é aquela feita exclusivamente de malte de cevada e ponto final.

cerveja puro malte
Cerveja puro malte: 100% grãos de cevada

E ser puro malte é sinônimo de qualidade?

Pode ser e pode não ser.

A associação entre puro malte e qualidade superior vem da tradição cervejeira.

Em 1516, a Alemanha criou a Lei da Pureza, de acordo com a qual a cerveja deve conter apenas água, malte de cevada e lúpulo na sua composição.

Em que pese a fórmula mágica ser sinônimo de rigor e pureza, não dá para garantir que os duques da Baviera estavam exatamente preocupados em garantir qualidade aos consumidores de cerveja do século XVI.

É que entre as razões da criação dessa lei, que vigorou na Alemanha até a década de oitenta e que continua a ser respeitada pela maioria dos cervejeiros alemães até hoje, estava a necessidade de restringir o uso do trigo na cerveja, já que essa prática estava encarecendo o preço do pão.

De toda forma, a Lei de pureza alemã teve tanta importância como referência de padronização do processo de fabricação de cervejas que serve até hoje como parâmetro de qualidade no mundo todo e, nesse sentido, a cerveja puro malte chancela essa importância.

Por outro lado, devemos ressaltar que há excelentes cervejas feitas com trigo, arroz ou milho, ou mesmo de adjuntos como frutas, ervas e especiarias que são bem aceitas pelo público consumidor. Graças ao surgimento do movimento da cerveja artesanal, existe agora uma grande variedade de cervejas excelentes que não seguem a lei da pureza.

A problemática em questão é que na produção industrial em alta escala, é comum usar outros cereais no lugar do malte de cevada para baratear a produção, o que acaba sendo interpretado como uma redução da qualidade do produto.

Nesse caso, seria o mesmo que dizer que um bolo feito com farinha de trigo é de qualidade inferior que um bolo de farinha de amêndoas só porque o segundo utiliza uma matéria-prima mais cara que o primeiro.

Você até pode preferir o bolo de farinha de amêndoas por gosto pessoal, mas não dá para desqualificar o bolo feito de trigo só por conta disso, concorda?

E cerveja duplo malte? Ela é mais forte que as outras?

Antes de mais nada deixemos claro que Duplo Malte é um nome puramente comercial, já que a legislação brasileira não faz referência à cerveja duplo malte, ao contrário do que acontece na Itália, por exemplo.

Na terra da Birra Moretti, o que difere uma cerveja “normal” de uma cerveja duplo malte é o grau de Plato (° P), uma unidade de medida de densidade do mosto, relacionada à quantidade de açúcares presentes antes da fermentação. 

Assim, segundo a legislação italiana, a bebida classifica-se como:

  • Cerveja: grau de Plato superior a 10,5% e teor alcoólico acima de 3,5%;
  • Cerveja Especial: se o grau de Plato for acima de 12,5%
  • Cerveja duplo malte: se o Plato não for menor que 14,5%   
cerveja duplo malte italiana
Itália regulamenta cerveja duplo malte

Já no Brasil, como dissemos, a definição de duplo malte é comercial e está ligada originariamente à receita da cerveja, que pode ter duas vezes mais malte ou combinar dois tipos diferentes de maltes. Esse último caso é o da cerveja duplo malte mais conhecida em terras tupiniquins, que mistura o malte Pilsner, mais leve, com o malte Munich, de sabor mais marcante.

Portanto, se você beber uma doppio malto na Itália, ela terá a tendência a ser mais encorpada e até pode ser mais alcoólica, já que quantidade de açúcares presentes no mosto é maior. Já no Brasil, em razão da falta de regulamentação sobre esse aspecto, ela pode ser mais forte ou mais fraca, mas isso não tem relação nenhuma com o nome “duplo malte”. 

Cervejas comerciais com a indicação “duplo malte” tem 4,7%  de teor alcoólico, exatamente a mesma coisa que aquela “pilsen” famosa que “desce redondo”.

Então, ficou claro agora o que é uma cerveja puro malte?

Esperamos que você tenha encontrado resposta a todas as suas perguntas. Como vimos, enquanto a cerveja puro malte vem definida na lei, a cerveja duplo malte é uma criação comercial.

Se elas são melhores que as outras cervejas?

Isso a gente deixa o seu paladar responder.

> Para saber mais sobre estilos de cervejas e conhecer mais sobre o universo fascinante dessa bebida milenar, venha fazer o Curso de Sommelier de Cervejas! Sua visão sobre a bebida será outra depois das nossas aulas.

Leia ainda: TEMPERATURA DA CERVEJA: QUAL É A IDEAL?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 10 =

Baixe o E-book Grátis ↓

Gestão Comercial das Cervejarias Artesanais Brasileiras

Um estudo sobre a forma de atuação

comercial das cervejarias artesanais 

realizado pela ESCM

com a participação

de 262 Cervejarias de todo o Brasil

Eu concordo em receber comunicações por e-mail.

contato