Blog

A cerveja que você bebe é vegana?

cerveja é vegana

Aqui estão algumas diretrizes para ajudar você a identificar uma cerveja vegana de verdade.

Ao primeiro olhar, parece bastante óbvio: se cerveja é feita a base de malte fermentado e lúpulo, como ela poderia não ser vegana?

Pois a verdade é que muitas cervejas fabricadas hoje em dia – de larga escala e mesmo as  artesanais – não se enquadram na categoria vegan e muito consumidor não sabe disso.

A questão é que os métodos de produção de alimentos e bebidas passou por uma forte industrialização nos últimos cinquenta anos, nos distanciamos da sua essência e já não sabemos mais como são produzidos ou que ingredientes eles contêm.

Por isso, a informação é cada vez mais importante, seja para aqueles que optam por não consumir nenhum produto de origem animal, seja para quem quer exercer o direito de consumidor consciente: aquele que faz questão de saber exatamente o que está ingerindo. 

É o seu caso, não é?

Por isso preparamos este conteúdo, para que você saiba identificar as cervejas veganas e possa desfrutar da bebida tranquilamente. Confira!

O que é exatamente uma bebida vegana?

Antes de adentrarmos ao tema, é preciso fazer uma observação.

Ao contrário do que muito se fala, o veganismo vai muito além do que apenas seguir uma dieta livre de alimentos de origem animal.

Nossa intenção aqui, entretanto, não é desvendar todos os aspectos da produção e dos produtores de cerveja para saber se eles estão alinhados à filosofia vegana que é contra a exploração animal de todas as formas. Nosso objetivo é tão somente trazer informações sobre os elementos da bebida em si, combinado?

Bem, partindo da premissa estrita de que o veganismo não permite o uso de produtos ou subprodutos de origem animal, uma bebida vegana é toda aquela que é produzida sem a utilização de ingredientes e equipamentos que contenham algum traço de origem animal.

Se partirmos de uma macrovisão de que a cerveja, na sua essência, é feita de água, malte e lúpulo, a resposta à pergunta do título deste artigo seria óbvia: toda cerveja é vegana!

Bem, nem sempre.

Algumas cervejas levam adjuntos que a transformam em um produto não vegano. O exemplo mais claro são as cervejas com mel, mas nem sempre é tão evidente.

As cervejas e a sua composição

Nem sempre o que parece, de fato é. A frase vale para a vida e para as cervejas.

Por isso é sempre bom ler os rótulos com atenção, sem se deixar levar pelo nome da cerveja ou criatividade artística de quem criou a embalagem.

Há muitos exemplos de cerveja escura com nomes de banda de heavy metal que levam leite ou ostras, o que, num olhar desatento, pode passar despercebido.

É claro que essa advertência vale mais para o consumidor em geral do que para o consumidor vegano, que está sempre alerta à utilização de produtos de origem animal na sua alimentação.

Ocorre que, como dissemos acima, a presença desses produtos nem sempre estão claros nas embalagens.

E sim, ao contrário do acontecia a poucos anos atrás, produtos de origem animal agora são permitidos na composição da cerveja, conforme dispõe o art. 14 da IN MAPA n. 62/2019.

Quando a cerveja deixa de ser vegana?

Como vimos, os produtos de origem animal podem fazer parte do processo de produção de cervejas aqui no Brasil. 

Basicamente, a cerveja deixa de ser vegana de duas maneiras:

  • como ingrediente diretamente presente na bebida;
  • no processo de filtração, para afastar as impurezas.

No primeiro caso, temos o produto de origem animal utilizado como ingrediente caracterizador do produto final. 

É o caso, por exemplo, da Cerveja Colorado Appia, que tem adição de mel de laranjeira, e das “Milk Stout” que embora não levem leite in natura na receita, são feitas a partir de lactose monoidratada, uma forma cristalizada da lactose, a principal proteína do leite de vaca.

Na segunda hipótese, e aqui entram as cervejas no vegan-friendly mais difíceis de identificar, o produto de origem animal é usado apenas como recurso facilitador no processo de fabricação da bebida.

Assim como no vinho, a cerveja também costuma passar por um processo de clarificação do líquido, uma etapa onde são adicionadas substâncias coagulantes capazes de sedimentar, levando consigo os resíduos sólidos do produto.

Ocorre que essas substâncias clarificantes tradicionalmente utilizadas pelas indústrias de bebidas são feitas à base de gelatina e cola de peixe. Nesse caso, como ambos são subprodutos animais, a cerveja deixa de ser vegana.

Assim, não apenas os adjuntos são responsáveis pela transformação da cerveja em um produto não vegano, mas também todos esses químicos chamados de  “coadjuvantes da tecnologia”, facilitadores do processo de produção.

Caseína (proteína do leite), glicerina animal e albumina (proteína do ovo) são outros exemplos desses produtos.

Embora esses elementos não tenham efeito sobre o sabor do produto final, eles tornam a bebida inadequada para uma dieta vegana que, como vimos, se baseia na exclusão de qualquer componente derivado da exploração animal.

A questão é que, como as substâncias de origem animal utilizadas para a clarificação da cerveja não estão presentes no produto final, elas não constam do rol de ingredientes estampado no rótulo.

E, então, como saber se a sua cerveja preferida é vegana? Abaixo, a gente te dá algumas dicas para descobrir.

cervejá é vegana?

Nenhuma cerveja é vegana?

Absolutamente.

A utilização de proteínas animais por algumas fábricas cervejeiras não significa dizer que todas as cervejas sem turbidez tenham passado por processo de clarificação com produtos de origem animal.

Existem muitas marcas de cerveja em todo o mundo que são realmente 100% veganas. Cervejarias mais modernas utilizam produtos vegetais ou mesmo equipamentos que promovem a clarificação do líquido sem a necessidade de acréscimo de aditivos à cerveja. 

Mas, voltemos à pergunta central: se o produto animal clarificante não se torna componente da bebida – e por isso não entra como ingrediente da cerveja na embalagem – como saber, afinal, se ele foi utilizado ou não na fabricação da sua cerveja?

Leia também: Rótulo de Cervejas: você já se adequou às novas regras do MAPA?

Como escolher uma cerveja vegana sem erro

Aqui estão algumas dicas que facilitarão a sua escolha de uma cerveja vegana:

  • Cervejas alemãs usam métodos tradicionais de fabricação e costumam ser veganas, já que, pela Lei da Pureza, apenas água, cevada e lúpulo podem ser usados na cerveja. Portanto, se você é vegano, na dúvida, utilize a Lei da Pureza a seu favor.

  • Para quem quer ter certeza de que uma cerveja é vegana, a melhor forma é entrar em contato com o fabricante. Isso é possível mesmo para os fabricantes de fora do Brasil. Escreva um e-mail e peça informações sobre a cerveja em questão, deixando claro a sua preocupação com a presença de substâncias de origem animal no processo de produção e não no produto final.

  • A internet também está aí para ajudar a tornar a busca por uma cerveja vegana muito mais fácil. Barnivore é um índice pesquisável dedicado a todos os tipos de álcool vegano com um extenso banco de dados. No site nacional lokobeer também é possível encontrar cervejas vegan friendly.

  • Alguns cervejeiros atentos ao movimento de consumo atual já fornecem o máximo de informações possível ao cliente, inclusive com participação em programas de certificação, com o fim de garantir ao público que a cerveja é 100% vegana. Nesses casos, o produto estampa um selo ou marca própria e facilitam a vida de quem procura por produtos veganos.

Infelizmente, como você viu, na maior parte dos casos, saber se a sua cerveja é vegana exige mais que apenas uma leitura atenta ao rótulo.

Se você é carnívoro assumido, pode ficar tranquilo, sua vida cervejeira segue sem nenhum impedimento, mas a nossa sugestão é que você beba sempre de forma consciente, tanto na quantidade, mas também em relação aos ingredientes e método de produção da sua bebida favorita. 

Já se você já é vegano ou está pensando em mudar seus hábitos alimentares, é importante saber todas as nuances que envolvem essa decisão e se munir de informações que o fará sustentar essa escolha.

Esperamos que você tenha achado útil essas informações e que encontre a cerveja do jeito que você gosta e quer que ela seja.

>> Quer aprender mais sobre os segredos da produção de cerveja? 

Confira os cursos na modalidade online oferecidos pela ESCM:

> Produção de Cervejas não Convencionais: descubra o mundo das  cervejas diferenciadas

> Cervejeiro Caseiro: aprenda a fazer cerveja em casa do jeito que você quer

> Tecnologia Cervejeira Avançada: o caminho mais fácil e seguro para quem quer produzir cerveja de forma profissional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

contato

Logo Escola Superior de Cerveja e Malte