Consumidores exigentes elevam a qualidade da cerveja e dos produtos


Cerveja e Marketing, Cervejarias e Premiadas

As exigências cada vez maiores dos consumidores por cervejas diferenciadas e de qualidade têm levado as empresas a investirem cada vez mais em produtos inovadores e de alto valor agregado. Prova disso são as 126 medalhas recebidas por cervejarias artesanais brasileiras, entre os anos de 2007 e 2014, em concursos e premiações no mundo inteiro para satisfazer aos paladares mais rigorosos dos apreciadores da bebida. Por outro lado, o sabor da cerveja também tem surgido como uma alternativa em outros produtos, como é o caso da Nutella de Cerveja ou o Café de Cerveja lançados recentemente.

A qualidade das cervejas artesanais brasileiras se evidencia pela quantidade de medalhas conquistadas somente em 2014 em concursos internacionais, que somam mais ouros, pratas e bronzes do que 2013. De acordo com um levantamento feito pela Revista Beer Art, desde 2007 as cervejarias brasileiras receberam 126 medalhas em competições no exterior. São 76 ouros, 94 pratas e 134 bronzes. Essas premiações incluem categorias importantes, como o primeiro ouro no World Beer Cup (Wäls Dubbel), a platina no Mondial de La Bière (Double Perigosa), a melhor cerveja das Américas (Saison de Caju da Tupiniquim) e a melhor cerveja de trigo do World Beer Awards (Eisenbhan).

Mas não é só no Brasil que os paladares e preferências pela cerveja estão aumentando. O sabor da bebida também está ingressando como uma opção em outros produtos, como é o caso do Birra Spalmabile, desenvolvido por uma parceria entre uma indústria de chocolate e uma cervejaria italianas, que se assemelha a uma Nutella de Cerveja. O produto tem uma essência de lúpulo e contém cerca de 40% de cerveja, isenta de álcool, e custa em torno de 10 libras (R$ 40,00). Já a Starbucks Café desenvolveu o café com sabor de cerveja, disponível nas lojas de Columbia, Ohio e Flórida, que também não possui álcool, e batizado de Barrel Latte. Como se vê, não há limites para a criatividade e inovação na cerveja.

 

Texto por: Luís Augusto Zillmer Cardoso

comentários