Blog

Pós-graduação em cerveja não é só diversão

Desde que começamos a história de uma pós-graduação em cerveja, nos acostumamos em ouvir muitas piadinhas do tipo:
“_ Ah! Esta pós é ótima para mim que gosto de tomar uma caixa por fim de semana!”
“_ Oh, este curso é o meu sonho porque assim eu posso beber estudando.”
“_ Ixi! Até volto para a escola com um curso desses”.

Apesar das risadas e do tom dos gracejos, lamentamos informar que uma pós-graduação em cerveja não é brincadeira. Estudar cerveja é coisa séria. E muito! Há muito mais ciência e cultura por trás da cerveja do que possa imaginar a maioria das pessoas quando ouvem falar em um curso de pós-graduação em cerveja.

A começar por um princípio básico: não se bebe em serviço. Aqui se estuda muito mais do que se bebe e, a quantidade consumida, é muito menor do que se possa imaginar. Isso porque são 80 subestilos relacionados apenas pelo guia BJCP e, cada um deles, oferece várias possibilidades de elaboração. Parece muito? Pois saiba que este é um número de referência, pois existe um mundo de cervejas fora de estilo.

Também devemos considerar (e estudar) os ingredientes: malte, lúpulo, água e fermento. Apesar de serem apenas quatro, existe uma infinidade de características e possibilidades de combinação deles. São muitos os tipos de malte – aliás, boa parte do mundo sequer sabe o que é malte – e muitas variedades de lúpulo, de águas e leveduras. Estamos nos referindo a outro mundo. E olha que nem vamos entrar no tema dos adjuntos e especiarias que podem ser utilizados na fabricação da cerveja.

Junte isso tudo e ainda será necessário desvendar os mistérios do processo de fabricação. A fermentação que Deus legou ao homem para transformar frutas em vinho e cereais em cerveja é parte do processo de produção. Também há controles de temperatura, rampas de cozimento, sanitização, dry hop, maturação, finalização, pasteurização, envase, transporte e armazenamento… Ah! Sem contar que para fazer cerveja temos que estudar o pH, enzimas, reações químicas, físicas e biológicas.

Mesmo depois de aprender tudo isso, ainda restam algumas perguntas: como elaborar uma receita? O que é o drinkability? Flavors, gestão sensorial… Quase todo cervejeiro sabe que fazer uma cerveja é razoavelmente fácil. Mas repetir a dose é muito mais difícil e exige conhecimento e técnica. Por isso a ideia de uma pós-graduação em cerveja. Ela será cada vez mais necessária para uma atuação profissional no mercado. Prova disso é que tivemos alunos de diversos estados do Brasil aqui conosco para a primeira turma e agora esperamos alunos de várias outras partes do país na segunda turma. Se, ao final de tudo isso, você ainda acreditar que estudar cerveja é brincadeira e se resume a beber, nós temos uma certeza: você precisa estudar mais sobre o assunto. Que tal começar aqui com a gente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =

Baixe o E-book Grátis ↓

Gestão Comercial das Cervejarias Artesanais Brasileiras

Um estudo sobre a forma de atuação

comercial das cervejarias artesanais 

realizado pela ESCM

com a participação

de 262 Cervejarias de todo o Brasil

Eu concordo em receber comunicações por e-mail.