Aprenda a escolher a cerveja para o dia dos namorados


Cerveja e Marketing

A premissa básica do marketing envolve a identificação e a satisfação das necessidades e desejos humanos. Por necessidade entende-se os requisitos humanos básicos, enquanto os desejos são moldados pela sociedade em que cada indivíduo vive. Portanto, nada de pensar que o marketing cria necessidades. Quando muito o marketing poderá atuar sobre os desejos das pessoas, alterando comportamentos de consumo. Um exemplo prático disso pode ser dado pelo Dia dos Namorados, cuja data de 12 de junho ocorre nesta quinta-feira, e nos permite uma melhor compreensão da diferença entre necessidades e desejos.

As pessoas sempre tiveram necessidade de amor, mas foram influenciadas culturalmente por uma série de fatores, entre eles o marketing, ao desejo de demonstrar todo o seu amor com uma troca de presentes. No Brasil, isso fica ainda mais evidente, já que o precursor pela introdução da comemoração foi o publicitário João Dória, a pedido de uma grande rede varejista, e foi simbolizado pelo slogan: “Não é só com beijos que se prova o amor”. A data escolhida foi às vésperas do dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro, e cumpre com a função de aquecer as vendas entre o dia das mães (maio) e dia dos pais (agosto).

Mas o que isso tem a ver com cervejas? Primeiro que a cerveja pode ser uma opção para demonstrar seu amor. Para isso, lembre-se que todas as pessoas sentem sede (necessidade). Mas nenhuma delas compra uma cerveja para matar a sede. As pessoas compram momentos de prazer, de alegria, de descontração (desejo). Para presentear seu parceiro de forma correta, procure descobrir o que a pessoa espera de uma cerveja, ou seja, descubra seus desejos. Isso pode ser feito pela análise de sua personalidade, preferências e atitudes. Se você ainda estiver com dificuldades de escolher a cerveja ideal, este teste pode lhe ajudar. Boa sorte!

Texto por: Luís Augusto Zillmer Cardoso

comentários