Blog

Guia de estilos: diferenças entre BA e BJCP

Guia de estilos, BA e BJCP. Três palavras que ajudaram a revolucionar o universo cervejeiro artesanal e que se fazem tão presentes na vida de um cervejeiro quanto suas panelas e receitas. Cada um com suas características, mas tendo como propósito algo em comum: aprimorar o setor, catalogar estilos e servir como base para este mercado.

O guia de estilos BA – Brewers Association

A Brewers Association foi criada em 2005 nos Estados Unidos a partir da união entre duas entidades mais antigas, a Association of Brewers e a Brewers’ Association of America. Hoje, a associação empresarial reúne mais de 6,3 mil cervejarias artesanais. Seu principal objetivo é promover e proteger os cervejeiros independentes americanos, assim como sua produção e a comunidade de entusiastas.

Entre as ações desenvolvidas pela associação para desenvolver o setor, estão a realização do Great American Beer Festival e do World Beer Cup, a formação de um braço da entidade focado apenas em homebrewers e a criação de um selo que indica ao consumidor que a cerveja que ele está consumindo vem de uma cervejaria artesanal independente.

Mas, para quem estuda ou trabalha com a bebida, a principal contribuição da Brewers Association foi o desenvolvimento de um guia de estilos. O próprio guia é anterior à atual estrutura da BA, lançado pela primeira vez em 1993.

Segundo a associação, para que um estilo entre no guia são levados em conta fatores como a importância histórica, a autenticidade da bebida ou se determinada cerveja se mostra relevante para o mercado atual. A intenção é observar tendências e analisar se elas podem ou não emplacar. Já no caso de estilos históricos, é levado em conta a tradição cervejeira e a necessidade de preservar a receita no cenário atual.

O guia de estilos do BA é atualizado anualmente, com novas edições lançadas normalmente entre os meses de fevereiro e março, e atualizações sugeridas por juízes e técnicos em competições anteriores.

O guia de estilos Beer Judge Certification Program – BJCP

O BJCP, sigla para o Beer Judge Certification Program, é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1985 a partir de uma joint venture entre a American Homebrewers Association e a Home Wine Beer and Trade Association.

O principal objetivo do BJCP é formar e certificar juízes de cerveja, hidromel e sidra por meio de um processo de exames, monitoramento e certificação em competições, além de oferecer recursos para capacitar juízes e futuros juízes. Na época de sua criação, a intenção era basicamente garantir que os concursos de cervejeiros caseiros tivessem pessoas competentes para analisar as amostras enviadas.

Como forma de padronizar as avaliações, a associação também desenvolveu suas diretrizes de estilos. As revisões ocorrem mais lentamente do que as do guia de estilos do BA – a primeira edição saiu em 1997 e última atualização data de 2015. No entanto, entre uma atualização e outra, a entidade anuncia alguns “estilos provisórios”, como ocorreu neste ano com a Catharina Sour e a New England IPA.

A justificativa para que novas edições do guia do BJCP sejam mais demoradas é de que é preciso observar o desempenho de determinada receita mundo afora durante algum tempo para inclui-la ou não no rol. Isto impediria, por exemplo, que estilos muito locais fossem reconhecidos, dificultando as análises ou a certificação de novos juízes.

As diferenças no BA e no BJCP

Há diferenças consideráveis entre os guias de estilos da Brewers Association e o do Beer Judge Certification Program. A mais perceptível, é a de que o primeiro é descrito de forma mais genérica, sem especificações técnicas extremamente detalhadas. E isto ocorre por um motivo simples: as diretrizes do BA são mais voltadas para os fabricantes – e imagina-se que eles conheçam e dominem bem as características das cervejas que estão produzindo, né?

Outra razão é de que por ser mais atualizado e mais flexível em relação à inclusão de novos estilos, o BA oferece um bom retrato do mercado cervejeiro no ano em questão.

Já o BJCP é um guia de estilos voltado para julgamentos e para a formação de juízes, portanto, contém mais especificações técnicas e é mais conservador em suas atualizações. Neste caso, a intenção é realmente esperar para ver se uma cerveja que se apresenta como uma tendência sobrevive ao tempo e ao mercado.

Além disso, por ser vinculado inicialmente e criado para avaliar concursos de cervejas caseiras, o BJCP ainda mantêm uma forte ligação com este produtor. As descrições de estilos são bem mais detalhadas, apresentando características obrigatórias e opcionais do estilo, além de dados técnicos, como gravidade original e final, coloração, índice de amargor – e os dados ainda servem como base para programas bastante usados pelos paneleiros. Isto contribui para que ele consiga desenvolver suas receitas com mais segurança em relação aos estilos originais.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =

Baixe o E-book Grátis ↓

Gestão Comercial das Cervejarias Artesanais Brasileiras

Um estudo sobre a forma de atuação

comercial das cervejarias artesanais 

realizado pela ESCM

com a participação

de 262 Cervejarias de todo o Brasil

Eu concordo em receber comunicações por e-mail.

contato